Sexta-Feira, 28 de Janeiro de 2022
Marcelo Ramos diz que ida de Bolsonaro ao PL é “incômoda” e cogita desfiliação.
Eleições 2022
Marcelo Ramos diz que ida de Bolsonaro ao PL é “incômoda” e cogita desfiliação.
Eleições 2022 / 10-11-2021

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM), se manifestou sobre a possível filiação do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), ao PL (Partido Liberal), ao qual faz parte. O congressista disse que a situação é “absolutamente incômoda” e que vai esperar o desenrolar dos fatos “para avaliar o que fazer“, indicando possível desfiliação. “Eu não tenho como negar que é uma condição absolutamente incômoda para mim. Vou ter que esperar a confirmação disso para avaliar o que fazer”, disse Ramos em entrevista ao Roda Viva, da TV Cultura, na última 2ª feira (8.nov.2021.
 


 

“Eu também não tenho dúvida de que o presidente da República é mais importante para o partido do que um deputado federal do Amazonas. Mas, por outro lado, não tenho dúvida de que o futuro do país é mais importante do que o projeto de qualquer partido”, criticou. O deputado disse também que “não estará no mesmo palanque” de Bolsonaro, indicando que deixará o PL caso a filiação do presidente se consume. “O que está em jogo não é a minha reeleição, isso é muito menor do que termos um país capaz de superar a tragédia de 600 mil mortos, de 15 milhões de desempregados, de 20 milhões com fome, de  120 milhões com insegurança alimentar, de inflação a 10,5% projetada, de juros a longo prazo em 12%. Não posso achar que um presidente desse é bom para o país. Não posso trocar a facilidade da minha eleição pelo desastre do país que escolhi como meu”, Concluiu.
Pouco antes da sua participação no programa de TV, Ramos escreveu sobre o seu incômodo no Twitter. Ele disse que só se pronunciará no “momento oportuno“. 

O deputado costuma se posicionar publicamente contra pautas defendidas pelo governo. Ele já disse, por exemplo, que a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos Precatórios é “malabarismo contábil pra furar o teto“; repudiou o ataque dos seguranças da presidência da República a jornalistas durante o G20, em Roma; criticou a atuação do governo na pandemia diversas vezes; defendeu o impeachment de Bolsonaro; entre outras discórdias.

FILIAÇÃO Bolsonaro ligou para Valdemar Costa Neto, presidente do PL, na 2ª feira (8.nov), confirmando que vai se filiar à sigla. O presidente passou quase 2 anos sem partido, desde que saiu do PSL (Partido Social Liberal), sigla pela qual se elegeu, em novembro de 2019. Tentou criar o Aliança pelo Brasil, mas não conseguiu número de assinaturas suficiente.

Em 2021, com as eleições cada vez mais próximas, o chefe do Executivo começou a corrida para escolher dentre os partidos já existentes. Ele conversou, sem sucesso, com PMB, Patriota, PRTB, PTB e PP. Com perfil intempestivo, Bolsonaro ainda não oficializou sua ida para o PL. Pretende reunir-se com Costa Neto nesta 4ª feira (10.nov) para acertar detalhes da filiação. Porém, a ida para o PL é dada como certa.

Membros do partido acham que a chegada do presidente pode resultar em desfiliações, mas também esperam que atraia novos membros. A sigla quer aumentar a sua bancada no Congresso com a filiação de Bolsonaro e seus aliados. Atualmente, o partido tem 43 deputados e 4 senadores.


Fonte: poder360.com.br

 


Compartilhe com os amigos!

Deixe seu comentário