Sexta-Feira, 28 de Janeiro de 2022
Morre Sicupira, maior ídolo da história do Athletico-PR
Futebol
Morre Sicupira, maior ídolo da história do Athletico-PR
Futebol / 08-11-2021

DA REDAÇÃO DO PORTAL TERCEIRO TEMPO Maior ídolo da história do Athletico-PR, com boas passagens também por Corinthians e Botafogo, Barcimio Sicupira Júnior morreu na tarde deste domingo, em Curitiba, aos 77 anos. Sicupira tinha passado recentemente por uma cirurgia nos pulmões. A informação é do portal UmDois Esportes.

O ex-camisa 8 rubro-negro foi um dos principais destaques da equipe paranaense na conquista do estadual em 1970 (havia 12 anos que o Furacão estava na fila). Pelo Athletico Paranaense, Sicupira fez 154 gols. Em 1972, Sicupira foi emprestado ao Corinthians. Ele jogou poucas partidas pelo alvinegro, mas elas foram suficientes para que ele ganhasse a simpatia da Fiel torcida.

Sicupira foi autor de um gol histórico do Corinthians. O time empatava por zero a zero com o Ceará, no lotado Pacaembu (68.961 torcedores estavam presentes), no dia 14 de dezembro de 1972. Só a vitória interessava ao Corinthians para que ele ficasse vivo no Brasileirão. 

Aos 45 minutos, após cruzamento de Nélson Lopes, Sicupira concluiu de primeira, o goleiro Hélio Show _até então destaque da partida_ atrapalhou-se com a bola e ela entrou. Hélio Show ficou desesperado e começou a dar socos no gramado. Sicupira festejou com a torcida corintiana o gol da classificação. Segundo o "Almanaque do Corinthians", de Celso Dario Unzelte, Sicupira fez 22 jogos pelo alvinegro do Parque São Jorge. Foram 10 vitórias, oito empates e quatro derrotas). O meia-atacante marcou quatro gols pelo Timão.

Sicupira tinha três filhos, uma neta, morava no bairro Alto da Rua Quinze, em Curitiba (PR). Ele nasceu na cidade de Lapa (PR) no dia 10 de maio de 1944. É considerado o maior jogador da história do Atlético Paranaense e um dos cinco melhores do futebol do Paraná.

Sicupira começou no Ferroviário, atual Paraná Clube, e depois defendeu o Botafogo, o Botafogo de Ribeirão Preto, o Atlético Paranaense, o Corinthians (em 72) e de novo o Atlético Paranaense em 1976, quando encerrou a carreira. Repare, antes, no canto direito, uma bela mulher trajando um biquíni ao lado da equipe do Furacão, algo inusitado na época. Da esquerda para a direita, em pé: Valtinho, Cláudio Deodato, Júlio, Di, Alfredo e Picasso. Agachados: Buião, Sicupira, Paulo Roberto Maluco, Sérgio Lopes e Nilson Borges. Foto enviada por Celso Cordeiro.

Fonte: UOL

 


Compartilhe com os amigos!

Deixe seu comentário